sexta-feira, 21 de maio de 2010

pílulas:

O desentendido Roberto Jefferson defende a campanha Ficha Limpa e a candidatura de Fernando Collor de Mello ao governo de Alagoas.

Incoerente? Nada!
Quer dizer o seguinte: O ficha Limpa serrá muito bom, desde que não funcione!


O Partido Socialista Brasileiro (PSB) confirma a candidatura de Paulo Skaf ao governo de São Paulo. Acha estranho o partido socialista indicar o presidente da Fiesp para o governador? O Partido Social Liberal (PSL) não. O partido finalmente encontrou uma campanha tão paradoxal quanto a sua existência para endossar.

E não me surpreenderia se o PT o apoiasse num segundo turno. A própria candidatura do nada carismático Mercadante me parece mais um sinal da afinidade entre os partidos. Ou alguém realmente acha que ele tem alguma chance?

Sabe o que maisme choca? é capaz de eu mesmo votar nele!

3 comentários:

Paulinho Apolonio disse...

Só se for em Marte!

ALEXANDRE FERNANDO disse...

é O PT apoiar o Skaf parece algo improvável. Aliás, daonde saiu esse cara? Acho que ele não tem chances, mas, seria um descalabro se ele chegasse pelo menos perto de vencer. é muito inclinado aos interesses dos empresários. Lembro que a Fiesp apoia a polêmica emenda 3 do projeto da super receita, que tenta interferir na interpretação dos fiscais do trabalho para incubrir a fraude que o empresariado está careca de fazer que é transformar pessoa física em jurídica para burlar a CLT. Péssimo.

Thiago Teixeira disse...

Alexandre, o Skaf construiu o nome dele na FIESP, e tem moral entre o empresariado, justamente por não ser (na época de sua escolha) um grande chefão do comércio (ele disse isso numa remota edição da TRIP. O PT apoiar o Skaf contra o Alckmin não me soa como nenhum absurdo, principalmente por ele ser do PSB, que tirou o Ciro Gomes da disputa presidencial pra apoiar o Lula, digo, a Dilma.