quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Não há caronas na política

Sabe o que é fisiologismo? É quando um representante do povo cede seu voto ao interesse de um lobbista (você também pode chamar de requerênte) em troca de favores pessoais (que você pode chamar de "pastas" de um governo que se forma, mensalão, licitações para a empresa de um camarada etc, a lista é grande).

Se você não for um acadêmico muito sisudo, também pode chamar de patrimonialismo, que é mais ou menos isso aí. É engraçado tanto formalismo pra uma atividade tão informal e cotidiana. Tão cotidiana que tem até um partido só pra garantir que continue existindo. O famigerado PMDB.

Em suma, o PMDB é um partido interesseiro, essa é a palavra, sem firulas. Há muito, o partido abandonou um passado ilustre para defender essa prática, quase uma instituição nacional - que ainda não ganhou data comemorativa por que Sarney ainda vive!

Pois bem. Hoje o nome do Guido Mantega estava nos Trending Topics.
O motivo, uma declaração curta e grossa sobre o salário mínimo, que recebeu RT até do Buda:
"se passar de R$540,00 nóis veta, mano!"
Não é frase mais popular do ministro. Por que ele diria isso? Até quem gosta de bater no governo petista preferiu denunciar a tática fisiologista dos parceiros da situação. A negociação é simples, liberem pastas legais no segundo escalão do governo, e o pessoal do salário mínimo engole o chororô, qual uma criança mimada ao receber sua mamadeira.

É justo não curtir a frase do Mantega. Mas imagine você, por que será que nenhum tucano ou demista apareceu no noticiário para dar coro à reclamação? Lembre-se que a promessa de campanha do Serra era de 600 mangos de salário mínimo, não era?

Já que todo mundo pode palpitar sobre economia e política, eu que não vou me fazer de rogado: os 600 mangos eram papo furado. Não fosse, o PT não brigaria com o aliado por conta de 20 mangos a mais pra passar aumento tranquilo e sem perdas políticas. Tucanos e demistas não dão o pitaco deles porque, se alguém perguntar de onde tirar o dinheiro, eles vão ter que explicar a fórmula mágica. É melhor deixar de lado.

3 comentários:

Renato Diniz disse...

PMDB: Partido Mandatário Do Brasil

Gabriel Salgado - Musta disse...

Eu ainda estou esperando a fórmula mágica para explicar o aumento de salário deles que, aliás, não é nada mínimo!

Esses caras estão de brincadeira né, meu velho?

Thiago Teixeira disse...

acho que sei, o reajuste igual à porcentagem de impostos que pagamos, menos as parcelas que eles desviam. Evidentemente, eles tão superfaturando até essa porcentagem...